22 de agosto

O ritmo de Greice Bitello

Criadora da Stretch Roller revela curiosidades sobre a aula e sua história na dança

Suavidade e amplitude de movimentos

Suavidade e amplitude de movimentos | Foto: Jayme Barbosa

Greice Bitello iniciou na dança através do ballet clássico, por indicação de um ortopedista, aos 7 anos de idade, logo após um longo tratamento com botas ortopédicas e palmilhas. Desde então, não parou mais de dançar, praticando, além do ballet, que é sua maior paixão, jazz e street dance. Renomada educadora física de Porto Alegre (RS), Greice desenvolveu uma aula muito dinâmica e com resultados incríveis, denominada Stretch Roller. A técnica se utiliza dos pilares do Método ALM Foam Roller Brasil com a implementação de alongamentos estáticos e dinâmicos. Na entrevista a seguir, você acompanha curiosidades sobre sua história e conhece mais sobre a Strectch Roller.

Qual o maior aprendizado que a dança lhe trouxe? 

Esse universo, junto à educação dos meu pais, foi o que formou à pessoa que sou. Regrada, disciplinada, determinada, esforçada, responsável e que ama a prática de atividade física. Acredito que essas características resumem bem minha personalidade.

Em que a dança mais lhe beneficiou como educadora física? 

Acredito que a prática da dança, desde a infância, fez com que eu desenvolvesse uma consciência e expressão corporal e de movimento; o qual são de extrema importância para minha profissão. Mas acredito que o grande benefício, realmente, está em fazer o que se ama, ainda mais quando esse trabalho serve para ajudar ao próximo, no caso, promovendo saúde. Realmente me sinto realizada em todas as áreas em que atuo dentro da educação física.

Quais outros esportes gosta de praticar?

Amo pedalar, alongar, praticar stand up paddle e musculação. Mas, no momento, minha maior paixão é o balletfitness.

Como conheceu o Foam Roller e quais foram suas primeiras impressões?

Conheci na academia que trabalho e achei genial a possibilidade da auto liberação miofascial e da facilidade de carregar o material. Como eu já era adepta a liberação miofascial, conhecendo bem seus benefícios, logo virei praticante assídua do Foam Roller e não parei mais de rolar!

Poderia nos contar como surgiu a Stretch Roller e explicar seus diferenciais?

Já faz alguns anos que ministro aulas de alongamento. Ao conhecer o Método ALM Foam Roller Brasil em auto liberação miofascial, resolvi buscar informações científicas e realizar o Workshop de Certificação Foam Roller Brasil para me aprofundar no assunto. Um dos tópicos citados na certificação foi entender que os melhores treinadores no mundo não iniciam suas sessões de aquecimento e alongamento antes de realizar o trabalho de auto liberação miofascial no Foam Roller. A literatura de Michael Boyle, Avanços no Treinamento Funcional, apresenta um parágrafo bem interessante. “Se você captar uma coisa deste livro, essa coisa é o seguinte, comece a rolar, comece a alongar. Se todos os seus atletas não estiverem rolando e alongando você se encontra cinco passos atrás”. 

Com essa visão, fui em busca de uma aula mais produtiva de alongamento e resolvi criar a Stretch Roller, que é baseada nos pilares da auto liberação miofascial com o Foam Roller, seguido de alongamentos estáticos e dinâmicos. Realizamos o exercício com o Foam Roller seguindo a ordem do Método ALM, com objetivo de liberar os pontos gatilhos que impedem uma melhor amplitude de movimento e mobilidade. Dessa forma, preparamos bem a musculatura para o alongamento estático a seguir, obtendo melhores resultados na flexibilidade muscular da região. Na sequência da Stretch Roller, realizamos o alongamento dinâmico para a melhora de amplitude articular. A aula de alongamento nesse formato se torna bem mais eficaz e com excelentes resultados, comprovados cientificamente de acordo com vário estudos.

Por exemplo, Schroeder indica que o Foam Roller pode ser integrado tanto em momentos pré, como pós-treino, visando um aumento da flexibilidade e melhora das capacidades de performance a longo prazo (SCHROEDER et al, 2015).

Sullivan e Peacock vem utilizando esta ordem: Primeiro a liberação miofascial (opção de Foam Roller e auto liberação miofascial), em seguida, alongamento dinâmico ativo de curta duração e, por fim, aquecimento coordenativo específico (SULLIVAN et al, 2013; PEACOCK at al, 2014).

A pesquisa de Moher verificou que a combinação entre o uso do Foam Roller antes do alongamento estático promove maiores ganhos em amplitudes de movimento comparado as técnicas isoladas após o período de duas semanas. As razões potenciais são o aumento da temperatura intra muscular, do fluxo sangüíneo, das propriedades viscoelásticas e da capacidade tixotrópica – a fascia fica menos resistente e menos viscosa – (MOHER et al, 2014).

E como é o perfil dos praticantes, basicamente?

Os praticantes são pessoas que já se conscientizaram da importância dos exercícios de alongamento e condicionamento postural, seja por limitações, dores, recomendações médicas ou apenas por gostarem e sentirem os benefícios dessa prática.

Gostaria de deixar um recado para quem gostaria de experimentar uma aula de Stretch Roller?

Se você tem dificuldades em executar alguns movimentos por falta de amplitude articular, encurtamentos musculares, má postura ou sente dores, pratique a auto liberação miofascial e sinta a melhora na sua qualidade de vida.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
banner, Matérias

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *