6 de setembro

Louise Meneghetti, surf e skate de alma

Atleta comenta sua rotina de treinos e o amor pelos esportes de prancha

Louise Meneghetti é apaixonada por esportes. Iniciou no futebol, mas logo partiu para as pranchas, mais precisamente, surf e skate. Mesmo vivendo em Porto Alegre e morando longe do mar, ela não abre mão dos seus sonhos e se dedica fielmente a suas grandes paixões.

Você sempre gostou de praticar esportes? 
Sim, sempre gostei. Tudo começou com o futebol, aos seis anos de idade, algo que com o passar do tempo fui me dedicando cada vez mais, pois a partir dele assumi grandes responsabilidades que envolviam principalmente meus estudos.

Após o futebol, o que surgiu antes em sua vida, o surf ou o skate?
O surf surgiu antes, quando eu tinha 4 anos, mas acabei me dedicando mais ao skate por que eu ia para praia com a minha família fazer o conhecido “bate-volta” de domingo, e quando chegavam às férias de verão eu pegava recuperação, então era bem difícil de evoluir no surf.

Poderia contar quais são suas influências em cada um deles?
Minha principal influencia é meu pai e minha irmã mais velha, tanto no surf quanto no skate. Geralmente acompanho Carissa Moore, Sally Fitzgibbons e Stephanie Gilmore, elas me inspiram a continuar focada no surf e acreditar no meu sonho. Já no skate é um pouco diferente, procuro sempre estar andando com as minhas parceiras de rolê, pois a cada sessão é uma evolução, sempre uma ajudando a outra, e isso é o que mais me chama atenção nesse esporte, por mais individual que seja.

Como é para uma surfista morar em uma cidade que não tem mar?
É bem louco, por que a fissura por surfar é maior a cada final de semana, aproveitado como se fosse uma semana de surf. E ao mesmo tempo é muito astral, pois em Porto Alegre isso já virou uma cultura, fechar cinco no carro, dividir a gasolina e fazer o bate-volta para Tramandaí ou Torres.

Qual o lugar que ainda não conheceu e sonha em surfar?
Costa Rica, pois me chama atenção as belezas naturais, bem como a quantidade de praias.

Você participou do Surf All Day em Torres. Como essas ações ajudam na sua evolução e dos participantes?
Acredito que ações como o Surf All Day, proporcionam aos participantes momentos para melhorar o surf, esclarecer dúvidas, autoconhecimento dentro do mar, contato com grandes nomes do surf gaúcho e principalmente o conhecimentos de novas técnicas pós e pré surf.

Mudando um pouco de assunto, quais músicas têm escutado ultimamente antes de surfar? Alguma sugestão pros leitores do blog?
Não tenho uma playlist definida, normalmente coloco para escutar o que vêm na cabeça naquele momento, exemplo:
Mumford and Sons – Little Lion Man // Stubborn Love – The Lumineers // Gone, Gone, Gone – Phillip Phillips // Son’s Gonna Rise – Citizen Cope // Raggamuffin – Selah Sue // Call It What You Want – Foster The People

Quais os treinamentos tem praticado na cidade para manter a remada em dia?
Treinamento funcional focado especialmente para melhor desempenho no surf, com o Professor Rodrigo Nascente, e corrida.

Poderia descrever como utiliza o Foam Roller e quais os benefícios tem observado?
Normalmente utilizo o Foam Roller antes e depois de qualquer atividade física. Um dos principais benefícios que tenho observado é a sensação de leveza e principalmente soltura, proporcionando movimentos mais livres e relaxados.

Gostaria de deixar uma mensagem pras garotas que adorariam surfar ou andar de skate mas ainda não tomaram a iniciativa?
Sim, principalmente para minhas amigas que amam estes esportes e sonham praticá-los bem. Acredito que todo mundo é capaz tanto de surfar quanto de andar de skate, pois um dia todo mundo teve que aprender a andar.

Para acomanhar as aventuras da Lou, clique na imagem e acesse o Insta

Para acompanhar as aventuras da Lou, clique na imagem e siga ela pelo Insta

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
Matérias

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *