19 de setembro

Mestre Fábio Boldrini

Fisioterapeuta revela detalhes da carreira, o amor pela docência e como prevenir problemas na coluna.

Cuidando dos atletas da Ginástica Artística de São Caetano

Cuidando dos atletas da Ginástica Artística de São Caetano

Algumas pessoas trabalham para melhorar a qualidade de vida das demais e enchergam nisso uma grande paixão. Assim é a carreira do Fábio Boldrini. A fascinação pelo aprendizado e o conhecimento o levaram ao mestrado em fisioterapia pela UNICID e o transformaram em uma grande referência na área.

Nessa entrevista, Fábio, que também é professor da USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul), esclarece um tema que pode ajudar a melhorar a vida de muitas pessoas: problemas na coluna vertebral.

Você é Mestre em fisioterapia pela UNICID e, além de trabalhar como fisioterapeuta, ministra aulas na USCS. Poderia nos contar como surgiu o interesse pela profissão e pela docência?

O interesse pela profissão surgiu quando jogava vôlei. Já nessa época, achava interessante a atuação da fisioterapia esportiva. Após uma lesão, tive que fazer uma cirurgia de ligamento cruzado anterior (LCA) e isso me fez ter certeza que ajudar os atletas, tanto na prevenção quanto na intervenção pós-lesão, era o que mais queria para minha vida.

O interesse pela docência, foi um caminho natural. Desde o primeiro ano, até o fim da faculdade, estive em contato com os professores, auxiliando-os como monitor e professor voluntário. Por isso, tive professores que me incentivaram e me estimularam na busca pelo conhecimento. Acabei me apaixonando pela área. A constante busca pelo ensino, aprendizado e informação me fascina.

Entre suas diversas participações em programas de televisão, você coloca um dado que impressiona: mais de 80% da população brasileira já sofreu, ou sofre, com dor nas costas. Poderia esclarecer um pouco esse tema para entendermos melhor as causas?

Realmente temos um número enorme de queixas na região da coluna vertebral. As causas são diversas, desde alterações posturais, hérnia de disco, doenças crônico-degenerativas, como a osteoartrose, pontos gatilho, sedentarismo, entre outras. A rotina que temos acaba muitas vezes dificultando a prática de atividade física e, até mesmo, a busca por um especialista, a fim de realizar um diagnostico precoce. Aí está o perigo, pois atuar de forma precoce reduz o tempo de recuperação e evita a progressão de uma lesão que, muitas vezes, são simples. Independente do tempo dedicado ao trabalho, é importante ter tempo para se cuidar, para não ser mais um na estatística.

Quais seriam as recomendações básicas para quem sofre com esse mal?

Inicialmente consultar um médico especialista para que seja realizado o diagnóstico correto e, posteriormente, indicado à fisioterapia e/ou prática de atividade física regular com acompanhamento profissional. Afinal, a identificação da causa é fundamental. Só assim a abordagem do fisioterapeuta e do educador físico se tornará mais efetiva e objetiva.

O Foam Roller pode auxiliar nesses casos?

Sem dúvida. Temos muitos pacientes que apresentam contratura nesta região, diminuição de flexibilidade, de amplitude de movimento e pontos gatilho. E os estudos mais recentes têm mostrado benefícios quanto à utilização deste recurso para estes objetivos.

Além disso, temos visto respostas clínicas muito satisfatórias. O Foam Roller, por produzir aumento do fluxo sanguíneo e de oxigênio, pode ser utilizado tanto antes da prática da atividade física quanto após. Vejo resultados incríveis, tanto com atletas de alto rendimento, pós-operatórios e até mesmo em idosos. Recomendo!

Falando nisso, as dores nas costas afetam um público diverso, de idosos à crianças. Você acredita que o Foam Roller pode ser utilizado em qualquer idade, mediante acompanhamento de um profissional?

Acredito que recursos como o Foam Roller possam ser utilizados em qualquer público. Claro que temos algumas restrições que devem ser respeitadas e avaliadas dependendo da idade, porém o benefício é o mesmo, sendo apenas uma questão de adaptação. E com supervisão, já que o modo correto de utilização é o que determinará a eficiência com segurança.

Você gostaria de fornecer mais alguma dica para os leitores que buscam uma vida mais saudável?

Recomendo a prática regular de atividade física, associada a uma alimentação saudável com acompanhamento profissional. Desta forma, qualquer sintoma diferente pode ser identificado precocemente, muitas vezes, nem precisando de intervenção, apenas orientação. Além disso, não podemos esquecer que a prevenção é a melhor atitude.

Gostou das recomendações do Prof. Fábio Boldrini? Você pode entrar em contato com ele por e-mail ( fc.boldrini@yahoo.com ), ou conferir mais dicas em seu canal do YouTube e perfil do Instagram.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
banner, Matérias

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *