27 de setembro

Alexandre Kessler comenta os diferenciais da Foam Roller Brasil

Preparador físico revela detalhes e observações sob o ponto de vista da profissão

Alexandre Kessler, Master Trainer Foam Roller Brasil e proprietário da Assessoria Esportiva Alexandre Kessler Performance, fez a gentileza de comentar alguns dos principais diferenciais da Foam Roller Brasil e benefícios observados com sua utilização.

“Olá colegas, amigos e praticantes de exercícios físicos que buscam resultados eficazes e seguros em seus programas de treinamento. Vamos apresentar algumas características do rolo conhecido como Foam Roller e que atualmente é estudado e utilizado como uma ferramenta eficiente em protocolos de treinamento visando inúmeros objetivos, desde alta performance esportiva, passando por programas específicos de fitness e wellness; como também em momentos de prevenção e recuperação muscular.

Primeiro, vamos definir o que é o Foam Roller: um rolo de espuma cilíndrico com densidade e composição soft ou hard utilizado principalmente para a técnica de liberação miofascial. Sempre em busca da excelência em todos os aspectos, a Foam Roller Brasil desenvolveu seu foam roller maximizando os benefícios através de características únicas para a utilização no protocolo de auto liberação miofascial, primando por uma composição em EPP, com matéria prima 100% reciclável. Esse material é denominado polipropileno expandido, no caso, com densidade hard (rígido); sendo ideal para a auto liberação miofascial (Método ALM), pois garante uma maior aderência nas fáscias musculares. O tamanho ideal de 30 x 15 cm e peso de 250 gramas, também atua nesse sentido, proporcionando maior mobilidade e estabilidade durante o uso.

Em relação aos potenciais benefícios, a utilização de Foam Roller tem como premissa básica a self myofascial release, ou técnica manual de auto liberação miofascial, auxiliando no aumento de flexibilidade (range of motion), redução de EPDT (efeito posterior de dor tardia – muscle soreness), aumento de eficiência neuromuscular e promoção de recuperação acelerada pós treino (SKARABOT et al, 2015) através da redução de aderências fibrosas entre as camadas dos tecidos fasciais (McDONALD et al, 2013).

Estudos comprovaram que a fáscia altera suas propriedades mecânicas em resposta a constante aplicação de sobrecargas e posturas prolongadas, dessa forma, o mecanismo chamado strain hardening ocorre em qualquer material que apresenta tanto a capacidade plástica como elástica; e podemos manipulá-lo através de repetidas aplicações mecânicas tornando o tecido menos elástico e mais plástico (SCHLEIP et al, 2012).

Espero ter ajudado. Fique conosco, pois aqui estamos sempre em busca do conhecimento e da excelência Abraço e bom treino a todos!”

Referências:

1- McDONALD, GZ et al. An acute bout of self myofascial release increase range of motion without a subsequent decrease in muscle activation or force. J Strength Cond Res 27: 812-821, 2013.
2- SCHLEIP, R et al. Strain Hardening of fascia: static stretching of dense fibrous connective tissues can induce a temporary stiffness increase accompanied by enhanced matrix hydration. J Bodyw Mov Ther 16: 94-100, 2012.
3- SKARABOT, J et al. Comparision the effects of self-myofascial release with static stretching on ankle ROM in adolescent athletes. Int J Sports Phys Ther 10: 203-212, 2015.

Confira outros artigos de Alexandre Kessler no blog:

1. HIIT + Foam Roller

2. Treinamento de Força e Foam Roller

_

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
Matérias

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *