2 de julho

A excelência do fisioterapeuta Henrique Dutra

Profisional comenta seu trabalho no Futsal, Copa do Mundo e Olimpíadas

Henrique Dutra é Pós graduado em Fisioterapia Desportiva pela UNISC, graduado em Fisioterapia pela Universidade Luterana do Brasil, com ampla experiência nas quadras de futsal, participação na Copa do Mundo do Brasil e se preparando para sua primeira Olimpíada. Na entrevista a seguir, você conhecerá mais sobre o trabalho desse renomado profissional que está sempre em busca de excelência e novos conhecimentos.

Você sempre gostou de praticar esportes?
Sempre gostei e pratiquei esportes, costumava disputar diversas modalidades na escola, mas minha preferencia é, até hoje, pelo futsal. Há algum tempo iniciei com a prática do muay thay e estou gostando muito dessa atividade.

Como decidiu ingressar na fisioterapia e o que o levou a optar pela fisioterapia esportiva?
Minha ligação com o esporte foi justamente o motivo de eu procurar a fisioterapia, queria trabalhar no meio esportivo e observei o quanto a valorização e necessidade da fisioterapia vinha crescendo. Já entrei no curso com esse objetivo. O reconhecimento dos atletas pelo trabalho do fisioterapeuta esportivo e a dedicação que eles tem ao trabalho proposto, além da satisfação pessoal de ver um atleta se reabilitar e retornar em grande nível, foram fatores determinantes.

Como foi a experiência de trabalhar em uma Copa do Mundo? Acredita que a oportunidade proporcionou uma boa troca de conhecimentos com outros profissionais?
Foi uma experiência excelente, o clima que está envolvido e saber que tu está contribuindo para um dos maiores eventos esportivos do mundo é muito bom. Me proporcionou conhecer muitas pessoas, muitos grandes profissionais que eu já admirava. Tive a oportunidade de absorver mais conhecimento e fazer contato com muita gente boa.

Você também estará presente nas Olimpíadas, qual função exercerá no Jogos e como está a expectativa?
Serei voluntário da fisioterapia no Parque dos Atletas e Arena Carioca 1. A expectativa é de que, assim como na Copa, a atuação do pessoal da saúde seja um sucesso e que a possibilidade de troca de conhecimento e contatos seja ainda melhor, pois haverá um número muito maior de países e profissionais envolvidos.

Como os jogadores de futsal com quem você trabalha recebem as técnicas de auto liberação miofascial?
Logo quando iniciei com o trabalho, em 2013, alguns atletas tiveram um pouco de resistência, por não conhecerem a técnica e por acharem um pouco dolorida, mas em pouco tempo, após algumas reuniões falando da importância do trabalho e até eles mesmos verificarem os benefícios da atividade, a aceitação passou a ser geral. Hoje, a técnica é conhecida por todos e eles vêem as outras equipes e outros esportes realizando a atividade, valorizam o trabalho e muitas vezes pedem para realizar logo que surge alguma dor muscular.

Quais resultados mais evidentes que você observa?
O mais evidente é a redução da dor muscular tardia. É o que os atletas mais referem após o uso e isso possibilita uma melhor recuperação do atleta. Também tenho observado melhora da flexibilidade e um menor número de lesões musculares dentro do grupo.

O futsal é um esporte de muito impacto, poderia falar um pouco mais sobre como, através do Método ALM Foam Roller Brasil, você conseguiu diminuir as incidências de lesões?
Sim, pois foi justamente o que procurei observar quando fiz meu trabalho de conclusão. O objetivo era verificar o controle das lesões musculares após um período de intervenção e relacionar com o número de lesões musculares por atleta no ano anterior. Não houveram lesões musculares traumáticas na temporada da intervenção, contra 3 na temporada anterior. Já era um grupo com característica de ter poucas lesões, mas assim mesmo tivemos sucesso em não ter nenhuma lesão desse tipo, com afastamento, durante o ano. Hoje, sigo utilizando o método associado a outros trabalhos preventivos de propriocepção, estabilização e coordenação e foi observado uma boa queda no número de lesões em geral.

Gostaria de deixar algum recado para aqueles profissionais que estão iniciando na fisioterapia?
O recado que deixo para o pessoal é que iniciem a profissão visando o crescimento de toda a classe. Para isso, é fundamental a união entre os colegas. Que exista discussão saudável e visando o crescimento de todos sobre metodologias de trabalho. Devem também demonstrar a qualidade do nosso trabalho para os clientes, deixando claro tudo que fazemos e as áreas de atuação, para que compreendam a real importância da fisioterapia. Assim, acredito que evitaremos algumas situações em que somos vistos como “os caras que botam só no choquinho”.

Compartilhar
  •  
  •  
  •  
banner, Matérias

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *